O Parque de Pituaçu vem sofrendo com problemas ambientais e de ocupação desordenada

•novembro 29, 2007 • 9 Comentários

O Parque de Pituaçu vem sofrendo com problemas de poluição, desmatamento, queimadas, ocupação desordenada por falta de fiscalização, tanto de órgãos ambientais, quanto de segurança do parque. Segundo Felipe Santos, vendedor local, o parque só tem fiscalização durante o fim de semana. “Não vem quase ninguém no parque nos dias de semana porque as pessoas têm medo de serem assaltadas.”, afirma Felipe.

A estagiária de políticas públicas do Grupo Ambientalista da Bahia – Gambá, Aline Amoedo, afirma que “a ocupação desordenada contribuiu para a degradação ambiental de parte do Parque de Pituaçu. As comunidades, alheia ao que vem acontecendo de fato com a área do Parque, aos direitos como cidadãos e às graves conseqüências para o ecossistema urbano, avalia como boa a administração”.

Em documentos do Gambá constam que além dos problemas de ocupação desordenada, o Parque de Pituaçu sofre de outros problemas. Mesmo tombado como unidade de conservação, Pituaçu ainda não possui Plano de Manejo e apresenta problemas ambientais como lançamento de esgotos, desmatamentos, queimadas, introdução de animais silvestres, descrição da vegetação ciliar e caça entre outros. A lagoa está cada vez mais poluída, atualmente é possível encontrar sacos e garrafas plásticas, isopor, outros materiais poluentes boiando na lagoa.

Segundo a Urbanista, Jeruza Jesus do Rosário, a qual fez um estudo sobre a ocupação desordenada do parque e sobre os trabalhos ambientais desenvolvidos no mesmo, “Tanto o Estado como as comunidades, se mostram conscientes da importância do Parque, mas o que se vê na prática, não é condizente com o discurso de senso de preservação; cada vez mais a área vem sendo ferozmente devastada sem a implantação de mecanismos que venham barrar o avanço de tal situação. O Parque é vitima da falta de sincronia entre os serviços dos órgãos que deveria, primar pela sua saúde e das manobras políticas acerca da valorização imobiliária diagnosticada na área”.

A administração do Parque de Pituaçu afirmou que tomará as devidas providências, sobre os problemas causados pela falta de fiscalização no parque, já sobre a ocupação desordenada, a administração afirmou que não é responsabilidade dela.

Anúncios

Lar substituto para crianças desamparadas.

•outubro 25, 2007 • 2 Comentários

O Abrigo São Geraldo, localizado no final de linha do bairro de Sete de Abril, na Estrada Velha do Aeroporto (EVA), adquiriu personalidade jurídica em 1946. O abrigo acolhe 34 crianças, jovens e adultos de 0 a 24 anos, sendo que 99% são de Salvador e apenas 1% de outras cidades baianas.

A fundação é uma ONG que vive de convênios com órgãos públicos, entidades particulares e de doações. O instituto conta com diversas parcerias, uma delas é com a Secretária Municipal de Desenvolvimento Social (SEDES) que desenvolve os programas Abrigo “Casa Lar” e o Pró-Jovem, ambos destinado à erradicação do trabalho infantil e juvenil, e promove também o desenvolvimento de atividades educativas.

Segundo o vice-diretor Joel Souza, o instituto firmou um convênio com os Governos Federal, Estadual e Municipal, em 2005, através do qual receberá de R$225 mil por ano. Este valor é repassado em três parcelas quadrimestrais: o Governo Federal repassa 4%, o Estadual 40% e o Municipal 56%. Além de parcerias financeiras, duas escolas oferecem um abatimento na mensalidade das crianças, a Escola Afrânio Peixoto, localizada no próprio bairro e a Escola Roberto Santos, em Castelo Branco. Segundo Joel Souza, mesmo com essas ajudas financeiras a fundação necessita de voluntários e doações para suprir as necessidades e atender as crianças que têm um gasto mensal de aproximadamente R$900,00.

10ª Feira da Primavera, uma feira que tem de tudo.

•setembro 27, 2007 • 2 Comentários

 

A 10ª Feira da Primavera aconteceu nesta última semana na praça 2 de Julho, no Campo Grande. Comemorando a chegada da primavera em Salvador a feira reuniu stands de plantas e artesanatos, um palco foi montado no centro da feira onde aconteciam shows durante a noite. A feira teve entrada gratuita e até quem não ia comprar podia passear e ter um ótimo lazer com a família. A jornalista Rita Batista fala um pouco sobre a feira.

 

 

 

Nos stands era possível se encontrar de tudo. Plantas de vários tipos: antúrio, rosas, cactos, rendas, samambaias, violetas, tulipas. Entre adubos, caqueiros e até bonsai (planta de origem japonesa) que são árvores em miniaturas, também eram encontrados.

 

Diferente do que muitos imaginam, na Feira da Primavera não havia somente plantas, haviam artesanatos, quitutes e muitas curiosidades. Um dos destaques da feira foi um marroquino que produzia e vendia suas peças na feira mesmo. Insetos de variadas espécies feitos de metal e sementes. Também eram encontrados na feira, bonecas de pano, porta incenso, macacos feitos de coco, brinquedos feitos de materiais naturais, porta objetos e estátuas de variadas culturas além do tradicional porquinho de barro.

 

Leônia Assis expositora desde a 1ª feira. Os expositores têm que pagar uma taxa de R$250,00 para vender seus produtos, sendo que está feira tem apoio da prefeitura e ainda assim é necessário pagar esta taxa.

 

 

Além destas atrações, na 10ª Feira da Primavera, havia um stand da SESP – Secretaria de Serviços Públicos, onde eram dadas aulas sobre reciclagem aos visitantes, além de conter várias produtos oriundos de material reciclado.

A 5a geração de iMacs chega ao Brasil

•agosto 23, 2007 • Deixe um comentário

Novo iMac G5      Os novos iMacs G5 lançados em Agosto com disco rígido de até 1 terabyte (capacidade para armazenar cerca de 250 filmes), chegam ao Brasil, são 3 modelos: um de 20” de 2.0GHz, outro de 2.4GHz e um de 24” com processador Intel Core 2 Duo de 2.8GHz.

      Além desta imensa capacidade de armazenamento, os novos iMacs se destacam pelo seu design, desta vez diferentes da 4a geração, eles apresentam apenas uma estrutura, não há mais divisão entre Monitor e CPU, disponiveis em duas cores, aluminio e glass, seu novo teclado baseado no iBook é muito pequeno e ultra fino e sem fio, diferente dos teclados comuns, por sua forma ser totalmente plana, ele não aculmula poeira ou sujeira.

      A Apple pretende atacar o varejo vendendo os novos iMacs em até 12 vezes sem juros, variando de R$5.000,00 (20” 2.0GHz) há R$7.300,00 (24” 2.4GHz), ainda podemos esperar mais novidades pois a Sony lançou um novo Mp4 de 160Gbts. As especificações completas estão disponíveis aqui.

Fontes: AppleInfoExame

Príncipes e princesas

•agosto 10, 2007 • Deixe um comentário

Estou postando uma resenha sobre o filme; “Príncipes e princesas”, que apesar de ter histórias já manjadas sua técnica é bastante interessante.

Cena do filme

     O filme Príncipes e princesas (1999) é um notável agrupamento de seis contos de diferentes épocas, mas com uma linguagem desenhada deslumbrantemente moderna. O filme encanta a todos por apresentar uma forma diferente do habitual, onde apresenta seus personagens em forma de silhuetas, como no teatro de sombras.     O diretor do filme, Michel Ocelot, é um mestre da pintura cinematográfica: tem mão fácil para transpor as linhas até o limite num delírio poético-visual que arrebata o olhar. Premiado pelo seu filme Kiriku e a princesa (1998), Ocelot é, juntamente com o japonês Hayao Myasaki (A viagem de Chihiro; 2001; O castelo animado, 2004), um dos mais prestigiados diretores de animação do mundo.

     O filme retrata uma espécie de teatro futurista, no qual dois jovens e um senhor usam sua criatividade para contar histórias onde eles são das mesmas. Utilizando-se de engenhocas são capazes de pesquisar a cultura que vai ser encenada, recriar a roupa e acessórios utilizados da época. Recriam também os cenários da mesma época que vão desde o Egito Antigo, ao Ano 3000.

     Cada conto começa como uma brincadeira de faz de conta, na qual os atores vão imaginando o início da história e se vestindo como os personagens. Criando uma empatia com quem assiste, principalmente o infantil. Nos contos são mostrados valores essenciais para a relação social no cotidiano, como a retribuição das formigas ao príncipe após ter salvado a vida delas. Estes valores são passados em todos os contos que possuem uma lição de moral aos seus términos.

     Príncipes e princesas é uma recaptura das antigas histórias da literatura de feitiçaria e folclore e exercita sobre toda a ingenuidade da imaginação o refinamento de idéias sem nunca perder a perspectiva narrativa, mais do que simplesmente entretenimento o filme tem papel de educador.